05 outubro 2017

Feliz dia dos professores!


Como todos os anos desde 1994, a 5 de outubro comemora-se o Dia Mundial dos Professores.



A data foi criada pela UNESCO, precisamente em 1994, com o objetivo de chamar atenção para o papel fundamental que os professores têm na sociedade e na instrução da população.

Numa iniciativa conjunta da Biblioteca Escolar e das professoras titulares da escola EB1 de Santo António, a fim de comemorar o Dia Mundial do Professor, alunos e respetivos encarregados de educação foram convidados a descrever e/ou a desenhar o seu professor ideal.
O resultado foi surpreendente, não só pelas mensagens dos textos elaborados, como também pelo cuidado na representação gráfica dos trabalhos em geral.
Foi, sem dúvida, uma bela homenagem a que estes alunos e encarregados de educação fizeram aos seus professores.


09 maio 2016

CONTINUAÇÃO DA HISTÓRIA O BEIJO DA PALAVRINHA

     É com grande satisfação que apresentamos uns textos criativos dos alunos da turma do 4ºB, da professora Paula Batista, imaginando finais possíveis para a história O Beijo da Palavrinha de Mia Couto.
     Parabéns aos jovens escritores!

11 abril 2016

"Era uma vez um rei que abraçou o mar"

Se gostas de História e/ou queres saber mais sobre a do nosso país, lê este livro de José Jorge Letria, ilustrado por Afonso Cruz, da editora Oficina do Livro.
Aconselhado para leitura orientada para o 4º ano de escolaridade, este livro permite-te conhecer melhor a figura de D. João II , um rei para quem os sonhos se podem tornar realidade e que teve um papel primordial  nos Descobrimentos portugueses.


Excerto do livro -em versão PDF

Lanterna Mágica diverte e ensina

Nova ida ao teatro, desta vez para assistir à peça " O livro amigo", destinada aos alunos do 1º, 2º e 3º anos. Com esta representação, proporcionada pelas bibliotecas escolares em colaboração com os professores das turmas, e em que a assistência mais jovem acabou por participar, a Companhia Lanterna Mágica destacou a importância do Livro e do saber ler . Foram momentos bem divertidos e pedagógicos os que esta companhia teatral nos proporcionou.





"O menino que acordava as estrelas" veio sonhar na Santo António

Foram belos os momentos proporcionados pela biblioteca da EB 1 de Santo António aos alunos desta escola, numa manhã da última semana de aulas, dedicada à solidariedade e à leitura. A obra O menino que acordava as estrelas serviu de mote a um encontro que uniu diferentes gerações e com diferentes formações académicas. Assim,  a convite da professora da equipa da biblioteca, Sofia Shirley, para além das professoras da escola e dos alunos que  participaram ativamente, estiveram ainda presentes na dinamização desta sessão cultural, proporcionada pela magia de um livro, um professor de música da Escola de Música Gualdim Pais, um aluno de música desta escola e também do agrupamento, uma poetisa local e uma voluntária da leitura da Biblioteca Municipal que gentilmente e com muito afinco colaboraram na organização deste momento.






  Vídeo de um excerto da sessão:

 https://drive.google.com/file/d/0BwFE9s9Xhi23Zmx1bDlsa1pxVzA/view?usp=drive_web


 Este é o livro, cuja história foi apresentada nesta sessão.É da autoria de Paulo José Costa  e foi ilustrado por Nídia Nair.
Da Textiverso,  a editora que o publicou, retirámos a seguinte sinopse:



“Esta é a história de Tristão, um menino aventureiro que vivia na terra da alegria.
Junto da sua casa havia uma árvore grande onde se empoleirava e onde aprendeu a conhecer a terra e as forças vivas da natureza. Um dia, sobre a árvore, acendeu-se um balão de mil cores. Sem hesitar um instante, pulou para dentro do cesto e partiu rumo ao universo. Longe, nos confins, encontrou uma estrela cujo brilho invadia os céus do mundo! Durante essa viagem, Tristão sentiu que «Partir não é deixar. Partir é não regressar ao coração de quem nos vê diluir-se no horizonte.»

Não se trata de uma simples história lúdica, mas de uma viagem didática pelo mundo do conhecimento, antes de mais em torno de temas alusivos a viagens e espaço, como o balonismo, as estrelas e as constelações. Paulo Costa, enquanto autor do texto, quis despertar a curiosidade dos seus potenciais leitores (crianças e adultos) para essas questões, e Nídia Nair, com as suas minuciosas ilustrações, criou um pano de fundo mágico pelo qual as palavras fluem como a luz e Tristão se revela uma criança inteligente e infinitamente curiosa.”